terça-feira, 21 de dezembro de 2010

É Natal outra vez...

É chegado o Natal, outra vez... a vida continua seguindo o seu curso...nada mais é como antes e os personagens da vida se modificando. Os mais velhos vão morrendo, crianças nascendo, filhos adultos... o encanto, aquele encanto de cada momento mágico, que é renovado quando nasce uma criança, por enquanto está apagado, sufocado pelas perdas no caminho...

É a saudade do Natal , ainda que pobre, de nossa casa, é a saudade do Natal tumultuado de avós, bisavós, filhos , netos, bisnetos.

É a vida passando com músicas que emocionam, mas que em determinados anos, faltam os brilhos do pisca-pisca, das árvores iluminadas, dos presentinhos , lembrancinhas...

Ainda sonho um dia , fazer um Natal bonito, feliz, mesa de revista, muitas luzes brilhando nas árvores... quando será...quando será...e o mais importante, todos sorrindo, com o amor espalhado no ar.

Muitas coisas deixaram de acontecer em minha vida. Culpa minha talvez. Apesar de minhas brincadeiras, de meu bom humor, há um compartimento fechado com minhas dores, dentro de meu coração.

O que preciso fazer, é fazer de conta que sou feliz...assim a alegria chega apesar dos problemas, apesar de tudo...

(Senhora B em 21/12/2010 ) 19:59hs

sábado, 4 de dezembro de 2010

06 de Dezembro

 Mamãe.
O tempo vai passando, a dor cicatrizando, mas a saudade...esta é imensa...
Hoje consigo compreender melhor e aceitar sua partida, depois de uma longa vida cheia de histórias e intensamente vivida.
Embora possamos sentir a falta de sua presença física, de sua voz, de seu olhar, de suas broncas , de suas brincadeiras, temos também o coração preenchido por seu amor...é como se jamais voce tivesse ido, tão forte a sua presença...

Ai está voce ao lado do tio, talvez todos reunidos em família, talvez não, mas sempre com o amparo iluminado dos Anjos, sob o olhar amoroso de Jesus, proximos de comemorar mais um aniversário . Voce nasceu em dezembro, mês que lembramos de Jesus, e morreu no mês de  maio, quando lembramos de Maria, sua Santíssima mãe.

Voce sempre foi especial. Uma estrela que brilhava de dor, de amor, de bondade, brilhava em seus momentos de ira, brilhava em seus momentos criança... Voce preenchia o espaço ao seu redor, vivia sua vida, mas também vivia o sofrimento dos outros.

Foi a mulher e foi a criança. Foi a mãe intensamente amorosa,que acariciava como também sabia usar duramente as palavras...

Teu sorriso, teu abraço, teu cheiro, tuas broncas, nada é esquecido. Teu jeitinho de gostar de bibelôs, de plantas e de bichos, da fartura, de uma boa comida, da família reunida.,. tudo é lembrado, mamãe. Mas não é lembrado apenas porque voce se foi.

É lembrado porque voce nos criou assim.

Mãe, hoje, amanha, segunda, todos os dias, de alguma forma, em algum gesto, em alguma pessoa, em alguma planta, ficou para sempre um pouco de voce, dentro e fora de nós.  E você sera sempre uma pessoa muito, muito especial. Será sempre a estrela de minha vida, como naquele poema que fiz para voce ao dezesseis anos, registrado por voce em cartório, publicado no jornal com tanto orgulho...eu também sinto muito orgulho de voce, da mãe querida  que me fez forte, guerreira, positiva.

Feliz aniversário aí no Céu, mãezinha. Agora voce pode comemorar com sua família, também. Um beijo no seu coração.

(Senhora B em 04/12/2010 em comemoração ao aniversário de minha mãe)  19:19hs.



quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Amor adolescente

Idade brejeira de muitas paixões.
Amores platônicos, sonhos, expectativas.
Um querer para sempre que não é para sempre. As vezes um sonho, as vezes sazonais, em tempo de escola, em tempo de férias ou em tempo de passeios.
O amor adolescente é um pouco mais do que paixões de vendavais.
O amor adolescente entra no coração, entra na mente, encanta, faz sofrer, mas é puro, é desapegado de sexo, entretanto transborda em emoções do coração. Deixa suas marcas na lembranças da vida. É como uma essência que fica presa no tempo.
O amor adolescente as vezes fica adulto, outras não. Fica ali, preso no passado, e a vida segue adiante, encontrando outros amores, até que finalmente encontramos a nossa outra metade, nem sempre perfeita, nem sempre romantica, mas aquela predestinada a cada um de nós.

Vez por outra, aquele frasco de essências retorna a lembrança, em sonhos. Apenas como uma lembrança bonita da adolescencia. Não mais uma paixão, não mais um amor, não mais uma amizade. Só lembranças que acalentam histórias, contos, crônicas, mas que ficou indelével na memória.

(Senhora B em 02/12/2010 por um sonho com Marly e Antônio em 30/11/2010 - Seria niver de Marly no dia 28.11 se estivesse viva - com  carinhosas desculpas a ele por não concordar com o amor adolescente de seu filho) 23:02hs.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O Rio de Janeiro em guerra

Fatos como o de hoje , há muito tempo vem ameaçando explodir.

O Tráfico dominou não somente o Rio de Janeiro, mas muitos outros Estados.

O mais triste é que omitiram-se em ações preventivas. Os políticos sem qualquer interesse na população , a não ser massagear o próprio ego com os encantamentos do cargo, das vantagens , facilidades, dos bandos de puxa-sacos sorridentes , felizes em aparecer ao menos numa foto qualquer, ao seu lado.

É triste ver as empresas desocupando suas instalações, abandonando seus imóveis e estes sendo invadidos e a cidade se favelizando por um bando de sanguessugas se passando por pobres coitados famintos( mas recebendo o bolsa família e outros privilégios mais, além dos gatos de água e luz, pagos por nós, quando não o nosso próprio telefone) .

Estas pessoas invadem o ambiente , enchem de crianças, largadas na rua, outras drogadas pelo crac, as mulheres em verdadeiro despudor de tudo, no comécio ilegal de compra e venda de pedaços de espaço invadido, endossados pelo órgão público que os "indenizam" com direito a casa, aluguel social e muitas outras vantagens.

Fico arrasada quando ouço uma história de compras em comércio, por quem nem  casa em, que dirá condições de comprar alguma coisa, mas risonhos , prevendo que seus nomes vão para o SERASA, e daí? O que significa nome, honra, caráter , para eles?  O que importa é a vantagem, os móveis novos para o Natal e no final, que não irão pagar nenhuima prestação. É um tentando ganhar nos juros e nos móveis de papel e o outro em querer ter sem pagar. É um tentando enganar o outro numa falta de princípios geral.

Nestas duas últimas semanas passei por situações estranhas, mas reais. A primeira foi a do pivete, caso que contei  anteriormente. Na semana passada foi no ônibus. Retornando para casa depois de um dia inteiro caminhando, trabalhando, ocorreu briga de motorista com dois passageiros suspeitos. Os passageiros  ameaçados de levar pedradas, risco a vida de graça ,  existindo perigo acarretado por pessoas irresponsáveis e despreparadas para exercer a sua função com coerencia , respeito, previdência  com aqueles a quem transporta.

Hoje o Rio amanheceu em guerra, com o combate aos traficantes, terror na cidade, nos bairros, com a queima de carros, ônibus, ameaças, tiros, etc. Estamos reféns de tudo, presos em casa. O medo, o pavor , tomou conta de todos com o noticiário ininterrupto da Globo, cobrindo os acontecimentos.

Ninguém viu a favela crescendo? A facilidade de compra de motos? Ninguem vê os meninos de rua e os craqueiros andando sujos feito zumbi?

Até o lixo temos que tomar conta, pois rasgam e sujam tudo.

Os garis encontram-se numa posição tão "chic" que não gostam de varrer ruas. Este serviço é feito de qualquer jeito. Afinal, trabalhar e limpar para que? Zona norte não é lugar de turista e mesmo os locais que são, o lixo está exposto na rua em meio a ratazanas e baratas.

O caos é total ;O desamparo é grande. A responsabilidade e a cobrança é destinada a alguns. A população "pobrezinha" não . Esta tem direito a medico, remedio, saude de graça, creche, dentista, internet, ONGS, etc...A Ligth não entra nas favelas para cortar a luz. Chegamos a ouvir, em tom de zombaria que usam "net gato" ar condicionado , e não pagam nada por isso. Será?

É claro que não se pode generalizar, mas como podem permitir invasões e proliferações de favelas da noite para o dia? Não há prevenção....

Este é o meu desabafo de hoje, meus filhos. Do medo de andar nas ruas e de saber que voces , comos tantos outros filhos de outras mães, estão expostos a insegurança , a criminalidade, a intolerancia, num mundo que não sabemos como retornar ao respeito aos pais, aos professores, ao estudo e a educação, a caligrafia, ao poder que os pais exerciam sobre os filhos sem que este gritem pelo Estatuto do Adolescente e da Criança, que não podem apanhar, que não podem trabalhar e que portanto são os donos do mundo que tudo podem fazer, sem serem penalizados. Até expor nossos pensamentos é temeroso...

É triste.Muito triste.
(Senhora B. em 25/11/2010 - 19:58)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O Pivete maduro

Lá estava, em plena Avenida Presidente Vargas, aguardando minha condução.
Observava as pessoas , pensativa , em mais um dia que minha paz interior refletia a serenidade de meu bom humor, passando por camelôs, lohjas, transeuntes, gritarias de vendedores.

Estava sinceramente exausta. O meu corpo não acompanhava meus pensamentos, minha alma no desejo de caminhar, explorar novidades, desanuviando e esvaziando qualquer sobra de estresse dos últimos dias.

A paz estava comigo. Dentro de mim. Eu podia sentí-la.

Serenamente olhei para o lado  atraída por algo. Era um homem, de média estatura, lembrava mais um garoto, gasto pelo tempo, russo em sua pele negra, pela falta de asseio, com boné vervelho e uma nota enrolada e amarrada no cordão, pendurada como se fosse um pingente... estes detalhes chamaram minha atenção e em movimentos automáticos, sem perceber, segurei a pasta e a bolsa de forma dlicada e instintiva, e de repente o tal sujeito arremessa sua mão ao meu pescoço .... Ouvi a linha de costura da gola de minha camisa e o "cara" correndo em disparada pela Avenida. Não demonstrei qualquer atitude de raiva, ódio ou de desespero: Olhei dentro de minha blusa e vi o cordão. No chão a medalhinha de São Bento... Sorri.

Ninguem entendia a minha calma e questionavam. Imediatamete respondi sem pensar: " Que babaca. Queria roubar bijuteria! Para que eu vou correr atrás dele?"  Mas agradeço os pressentimentos, os anjos ao meu lado, a paz que reinava em meu coração, a ausencia de raiva ou de mágoa, porque enxerguei naquela pessoa, um espírito baixo, e os Seres de Luz ao meu lado irradiavam  tanta luz e paz, que impediu qualquer acontecimento mais trágico... mas vale o alerta até mesmo para anda com bijuterias douradas.

(Senhora B em 16/11/2010 relatando o ocorrido em 12/11/2010 - São 12:06hs , agora)

sábado, 6 de novembro de 2010

Maturidade

Meu jogo de I ching de hoje: MATURIDADE


A água do lago se choca com o poder do fogo, criando um efeito poderoso, intenso: o efeito da maturação das energias. Algo que foi iniciado tempos atrás está se desenvolvendo numa forma madura, consistente. Neste momento, toda sorte de transformações se dará numa velocidade estonteante e aquilo que é velho e superado será posto para fora, para que a nova forma possa ocupar o lugar. A idéia fundamental deste hexagrama é a idéia de progresso, . Você sentirá grande satisfação ao entender que fez boas escolhas e que tais escolhas conduziram você a resultados efetivos. Observe também,  que a intensidade transformadora do momento pode desequilibrar você temporariamente. É a mesma sensação de quem estava num barco parado e eis que repentinamente o vento sopra e tudo começa a avançar. Entretanto, o solavanco não é nada que o derrube, muito pelo contrário, é algo que o desperta. As pessoas ao seu redor estão vendo o que está acontecendo e sentindo orgulho de você. Boas novidades para o momento

(Senhora B . em 06/11/2010 'as 12:46) Minha filhotinha foi fazer o ENEN ....primeiros passos que definirão seu futuro
6ª 
5ª 
4ª 
3ª 
2ª 
1ª 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Lembrar os entes queridos que se foram

Hoje é dia de Finados. Pela manha assistia a um programa que dizia que o céu, neste dia está em festa e com todos os Portais abertos e os entes queridos ainda não reencarnados, aguardando alguma mensagem , lembrança de nós.

Não gosto de Cemitérios. Talvez este estigma de que é um lugar pesado, onde almas penadas rondam, tenham me deixado meia avessa a visitas. No fundo eu acho que ali encontram-se apenas os restos mortais da pessoa querida...Sua alma não. Sua alma esta no Céu, seja como dito no Nosso Lar, em alguma colonia, mas vivos em outr dimensão.

Então hoje, como quase todos os dias de minha vida, pensei na minha mãe amada, na alegria de vir ao mundo através dela, de seu amor, de seu carinho, de  seus lindos olhos verdes , herdados pelo seu primeiro neto. Pensei no meu pai querido...Nos ultimos dias tenho relembrado tanto a sua família, os tios, primos...pensei em Marly... talvez seja por isso  que hoje pensei no Marco.  Mas não existe apenas um único dia para homenagear os mortos. Eu respeito os meus antepassados, meus entes queridos. E voce , maezinha, sempre tão especial para mim, receba meu amor, meu beijo, meu carinho, minha saudade infinita.Você sabe do meu carinho, meu amor, dos beijos que mando para o céu, das lágrimas silenciosas que rolam sem querer. Hoje não é dia para te lembrar, te homenagear. TODOS OS DIAS é seu dia também, a cada detalhe, a cada lembrança da própria educação que nos deu.

Para voce, meu amor infinito!

(Senhora B - 02-11-2010   21:05hs)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Bravuras e canduras

Bravuras e canduras são palavras que surgem do nada, da profunda reflexão do dia , dos acontecimentos marcantes que envolvem o único cenário existente: A Terra, o nosso mundo, onde aqueles que dirigem o nosso destina, modifica ruas, casas, bairros , paisagens, modernizam mas a verdade é que o mundp é apenas este. Nós somos os personagens, que vivemos agora ou que por aqui passamos numa outra temporada adormecida na memória. É a vida um grande teatro . Avançamos ou regredimos conforme nossa cultura, nossa educação. E é uma triste constatação a ausencia de cultura , polimento , porque ninguém é obrigado a saber ou conhecer, mas podemos observar e aprender com os bons exemplos . Assimilar as boas coisas que nos tornam uma pessoa melhor. Os dias avançam , o tempo passa rapidamente ... ja entramso em novembro e se aproxima mais um Natal....

(Senhora B. em 01/11/2010 - 18:39hs)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Capítulos da Vida

Capítulo I : O FILHO MAIS NOVO.

Ontem passou em alguma novela, programa, não sei, alguém dizendo que " minha mãe dizia que quando voce tem um filho, nunca mais voce dorme tranquila". Ah! Lembrei. Foi na novela das oito, o personargem da Maitê Proença falando sobre o filho...
É verdade. Basta um filho estar na Rua até tarde para o coração começar a doer, vem a ansiedade, a preocupação, o sofrimento, o sobressalto....por várias vezes me questiono se estou errada . Com vinte e três anos, um casamento fracassado de 30 dias, um carro totalmente f... (Spazio 147) cuja alegria foi só a compra e depois a venda, e uma total queda para farra (adora dançar forró), e cheio de preguiça em casa, de roupas largadas e desajeitadas, completa indiferença no ajudar, no respeitar... não sei. Há momentos em que a gota d'água estoura. Foram anos e ainda são, anos de trabalho, de luta, sem ter uma casinha arrumada , um cantinho jeitoso e orgulhoso para apresentar e sem saber se este dia ainda chegará, não dá para tolerar malcriação não é? Então nestes momentos penso que se fosse ele independente, morando longe de meus olhos, não me angustiaria tanto. Será?

Capítulo II - A FILHA MAIS NOVA

Esta resolve dar o grito da independência. Ah coração..... rasga de dor ao ver suas palavras afiadinhas, querendo impor direitos para sair sem companhia dos irmãos, minha.... olha eu até sei que muitas jovens engravidam aos treze, quinze anos.... que muitas aos dezesseis saem na noite para curtir a balada. Mas não criei meus filhos assim.
Este negócio de bando de balada de turma eu não gosto. Para tudo tem o seu momento certo. Se quer liberdade, case-se mais cedo. Ao invés dos pais vai dar satisfação para o marido. E não me digam que as moças querem ser independentes porque são todas umas loucas por arrumar alguém para agarrar, pegar, "pra chamar de seu". Frustram-se quando não se casam porque no fundo , no fundo, é o sonho que todas acalentam, do príncipe encantado e de uma vida feliz... é....a cada dia a gente aprende uma coisa a mais com os filhos, principalmente quando somos encostadas de lado.Não que isto me incomode, pois como eu sempre digo, filho se cria para o mundo, mas com responsabilidades. O que me incomoda  é eles não querem assumir responsabilidades da vida diária. Obrigações da casa, contas, manutenção, etc.

CAPITULO III - A EMPREGADA

Putz!!! a empregada nova sumiu. Assim. Largou o emprego de carteira assinada, sem mais nem menos. Soube por terceiros que ela achava que tinha muito trabalho para fazer. Aqui????  |As minhas angustias até desapareceram com a minha corrida diária de fazer as obrigações que ela teria que fazer enquanto eu trabalho na minha profissão.  Então eu lavo, passo , arrumo, cozinho, cuido de cães e gatos até meio dia e depois tenho que estar com a mente fresca e imaginativa para trabalhar. Um pouquinho difícil mas no dia a dia e fazem mais de quinze dias, começo a entrar no ritmo. Ruim e levantar cedo e dormir tarde e ninguém fica satisfeito. Nem os de casa e nem meus cliente.  É para deixar qualquer pirado stress. Fazer o quê, né. As vezes é melhor assim, No mínimo estou me exercitando e retreinando a cozinha... ( a gente fica fora de forma). O melhor é que eu volto a ter minhas crises de amor pela casa e aparece a vontade de enfeitá-la ...

CAPITULO IV - A INVASÃO.

Existe coisa mais desagradável do que gente oportunista, que diz que não tem para onde ir, não tem dinheiro e invade um imóvel, constrói, constrói, tem ar condicionado, esquadria de alumínio, porcelanato, moveis da casas Bahia que certamente compraram a prazo para dar o calote? Olha é um absurdo ter que assistir os caras construindo, zombando da sua cara, e os órgão públicos nada fazendo, simplesmente jogando de um lado a outro. A delegacia não pode fazer nada. A Prefeitura não pode fazer nada. O Ministério Público não pode fazer nada. E aí? São os sem tento invasores detentores de direitos  maiores que os seus?  Nós, fiéis e honrados trabalhadores, que para comprar um imóvel precisa enfrentar uma vida de financiamento da CEF, submeter-se as normas da sociedade....  merece uma frase famosa:
"- De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto. (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)"


"Toda a capacidade dos nossos estadistas se esvai na intriga, na astúcia, na cabala, na vingança, na inveja, na condescendência com o abuso, na salvação das aparências, no desleixo do futuro. (Rui Barbosa – Colunas de Fogo, 79)."

Que homem inteligente , este Rui Barbosa!

CAPÍTULO V - A FUNCIONÁRIA

A que ponto chega o ser humano nas suas artimanhas. A menina faltou, errou, negligiu, de tudo fez para ser demitida. Mas....faltava e dizia que tinha ido ao médico sem apresentar  os atestados.... fazer o quê? Justa Causa. Vergonhoso, lamentável, mas sem outra saída...Havia ali desejo irônico e cínico de prejudicar, sabe-se lá porque razão!



(Senhora B - 05/10/2010 - 19:10hs)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

momento

(...) Ouça o silêncio: é o meu momento de solidão . Não pode ser solidão. Meus pensamentos saltam em minha cabeça, milhões de lembranças , milhões de reflexões...imaginação.

O cansaço é visível em meu rosto...

Senhora B em 30/09/2010 - 22:35hs

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Desabafo para soltar meus bichos interiores

Em determinados momentos, sinto uma solidão profunda, uma tristeza sem causa (!?) , um vazio no peito onde o coração grita por derramar lágrimas, sem razão de ser,  desafogando dores guardadas, disfarçadas, escondidas. Há dias que este sentimento tomou conta de mim. Precisava deixar escapar esta pressão que sufoca, maltrata, que destoa do espírito alegre, criança que habita meu ser.


Sinto tristeza. Sinto solidão, apesar de tantas pessoas, tantos fatos, tantos assuntos. Sinto uma dor incômoda que aperta a ponta do coração, umedece meus olhos... não estou feliz.

Os impactos me fizeram compassiva, entretanto determinadas palavras fazem rugir meu ser primata. Neste momento estas sensações buscam escapar , riscos de palavras que podem magoar... Cansaço talvez. Stress, que sabe?

Vontade de voar, de exercer os meus pensamentos, os meus sentimentos e não ser tão submissa ...de ser tão educada, tão boazinha, tão legal...e deixar soltar meus bichos interiores, falar " na lata" , "na cara" sem medo de magoar, porque os outros ...ah, os outros falam, fazem o que querem sem preocupar-se se estão magoando, ofendendo, criticando, machucando...

...eu não aprendi a ser má...eu não aprendi a ser egoísta...argh!!!  precisava andar, andar, andar. Precisava ver brilho, ver cores! Precisava de um pouco de palavras suaves... preciso sair deste...deste....qual o nome desta sensação? Mesmice? rotina? frustração? solidão? Stress? "Saco cheio"? Mágoa? Impotência diante da vida , dos novos e velhos problemas?

(Senhora B em 24 de Setembro de 2010 - 21:20hs)

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Análise de sentimentos? Eu heim? Rsrsrsrs

Adoro o que faço. Gosto de ler,interpretar, viajar no universo das letras e nem por isso cheguei ao ápice da cultura... Devia ter concluido  meu curso de letras. Uma vida inteira é pouco para aprender, conhecer.

Não digo viver, porque cada um vive como quer e do seu jeito.


Me fechei em um mundo de livros , de papeis. ..

Agora sorrio vez por outra, ao ler uma revista falando sobre noradrenalina, ocitocina... e observo que nunca parei para analisar o amor sob o seu aspecto quimico.


 
Talvez porque , apesar de atração, eu sempre me interessei pelo amor do coração e não pelo amor do corpo.



Analisar sentimentos não é tarefa fácil.

Se  pudesse me analisar, acredito que a dopamina e a adrelinalina andam em baixa.

O fogo da paixão!

Realmente estou na fase do excesso de ocitocina e vasopressina para uma relação duradoura.

Calma já não sei dizer, porque nesta fase, os filhos causam verdadeiros rebuliços em nossas vidas. Como mãe, protejo as crias. O pai na crítica e na disputa de atenção, presença....

Aff!  Até que as vezes um pouco de adrenalina cairia bem...

Mas não!!! Paixão é coisa que cega, obsessão, dor e sofrimento.

Não, não!!! Não é legal.

Prefiro o relacionamento sereno sem paixões. Gosto do romantismo e do carinho , da ternura...da cumplicidade da amizade, daquele jeito de não saber o que fazer se o outro não existir.

É um amor agora mais tranquilo, longe das turbulências da primavera e do verão. É uma coisa assim, mais outonal, entende?  Toda  pressa desaparece.

Mas viver esta plenitude de ocitocina tem um preço certo. Ou não?
Creio que se não houvesse esta quimica, não haveria relacionamento que durasse.

As vezes falta até liberdade de expressão. Falta sociabilidade poque do outro lado excede a serotonina.

É a vida chegando aonde? Quem sabe?

Amanhã é outro dia, e não sabemos qual será o hormonio predominante, qual a proxima análise quimica a ser feito em nossos sentimentos, em minha vida...em nossas vidas.

(Senhora B - 09/05/2010  'as 21:46hs )

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Refletindo o silêncio

Vejo uma folha branca . Olho , penso, imagino as palavras que gostaria de escrever nesta páginas. Pura ironia colocar as sensações do dia, a solidão, a frustração, a calmaria, o sentimento, os sonhos e as vontade calada no íntimo de nossos corações. É dificil decifrar cada gotinha de dor que amarga no coração, na alma. Dizer se ela exprime a decepção, se define a ansiedade, se demonstra o cansaço que por vezes apaga a alegria de viver. O amanhecer passa a ser igual, em rotinas seguidas de atender aos outros, esquecida de nossa vontade.Está na minha natureza , lutar , caminhar , seguir em frente ainda que encharcada de sentimentos de saudade, de dor , tristeza, mágoa ou amor. Mesmo que decepcionada com a minha ausência do novo, da inovação de viver, como viver, sucumbe minha alma ao dia a dia medíocre de olhar as páginas de uma folha virtual. Colocar nesta páginas minhas sensações, o que se passa no meu coração ou o que se passa a frente de meus olhos. Talvez falte paixão . Paixão de trabalho, paixão de vida, paixão por sonhos...Difícil falar de amor, dificil falar de compreensão, difícil falar de emoção. Poderia talvez falar de escravidão, de workaholic compulsiva por não ter outra coisa a fazer. Talvez medo de viver. Medo do novo, do diferente. Medo de mim mesma quem sabe. Medo de descobrir que talvez eu não seja tão forte, porque o medo assombra. A solidão assombra. O novo assombra. O que sobra, é ouvir o silencio. Compreender suas mensagens... (Senhora B , em 01/09/2010 'as 20:56hs)

domingo, 15 de agosto de 2010

Sonhos, acasos

Esta noite eu sonhei muito. Lembro que, pela manha, ao acordar, eu fui despertada de uma regressão. Em meu sonho, há três vidas passadas eu era um menino, branco, com sardas e cabelos ruivos, simpático.
Esta sensação me acompanhou durante o dia, e por muitas vezes eu gostaria de de voltar a dormir e sonhar, retornar ao mesmo sonho.

Últimamente o sono é um bálsamo e os sonhos são uma forma de encontar os entes queridos, diminuir a saudade. Então pela manha assisti um programa cristão onde estava o Dr. Lair Ribeiro. Uma frase me chamou a atenção : Aqui e agora: O passado já passou, o futuro não chegou e o presente é aqui e agora. Bom refletir esta frase.
Passou a manha, a tarde e agora a noite dou uma passeada pelos meus e-mails e recebo uma newsletter do site " Somos todos Um - STUM. " Gosto muito deste site. Muito mesmo, recomendo a todos porque ele é ótimo em todos os sentidos. Adoro o I Ching, o Tarot, o horóscopo, os artigos... parecem mensagens que chegam como respostas as nossas dúvidas, anseior, pensamentos, atitudes. Olha este pedacinho  que copiei, e vejo porque não consigo voltar ao túmulo de meus pais e parentes, porque jogo beijos para o céu, para as estrelas, alcançando mamãe... Porque a vejo e sinto em meu coração...porque acredito na vida após a morte ...estou colocando o atalho para quem quizer navegar até lá, e um trechinho lindo lindo :http://somostodosum.ig.com.br/wagnerborges/livro/

"Cemitério não é lugar de ninguém. Os cadáveres não são as pessoas. Nenhum cadáver possui o brilho no olhar. Nenhum cadáver ama. Nenhum cadáver vive.

A vida vem da consciência espiritual que habita o corpo por um tempo determinado, de acordo com a própria experiência que a pessoa precisa passar. O brilho pertence à pessoa, ao espírito, à consciência. Quando esse espírito se retira, sobra só a carcaça, elemento da terra que será novamente recebido pela Mãe Terra, será absorvido por ela e transformado, será nutriente para outras formas de vida se expressarem oportunamente. Esses corpos serão absorvidos pela Terra, que é sua verdadeira dona. Mas os seus pais estão viajando por entre as dimensões, na direção de seus destinos que também não têm fim, assim como o infinito do espaço interdimensional. Eles prosseguem para outros aprendizados, em outros lugares, com outras pessoas e outras condições. E nos planos espirituais os seus pais não são mais pais, são apenas filhos de Deus, assim como todos os seres. Os pais de alguém não passam de filhos do Criador, são filhos da vida multidimensional. E essa vida prossegue por aí... em outras dimensões, em outros planos, em outros orbes, sempre seguindo... Erga a cabeça, abra o coração, veja o brilho do sol na atmosfera, o azul do céu e o vento que passa balançando as folhas das árvores. Sinta o cheiro da vida. Perceba por sintonia a magnitude da existência. Acabe com a sua tristeza, com o seu luto, e abrace a luz do sol. Abrace o vento, sinta-o! Perceba a magnitude da vida em outras dimensões, na natureza e em você mesmo.
Um raio de luz verde no peito e um raio de luz amarelo-dourado na cabeça. E um abraço invisível que fica. E que eleva a consciência para sempre pensar no melhor.
Quais são os ossos que podem portar o brilho do amor de alguém?
Quais são os restos mortais que podem portar a beleza de um amor?
Que túmulo frio poderá portar o calor de um coração que ama?
Que cemitério poderá enterrar uma consciência espiritual que pertence a outros níveis?
Que cartório terrestre e transitório registrou o nome de um espírito milenar?
Que terra poderá absorver aquilo que pertence aos céus?
Que vermes poderão consumir aquilo que pertence às estrelas?
Que espírito eterno fará parte da cadeia alimentar de seres minúsculos dentro da terra?
Um ser que veio das estrelas nunca poderá ser alimentos de vermes em lugar nenhum. Isso é insanidade, é ignorância, é cegueira! O espírito pertence às estrelas! O corpo pertence à terra!
Por que os homens não pensam nisso?"

(Tem mais no site. Vale a pena ler, aprender, conhecer. Vale a pena mesmo. Eu copiei este trechinho para ficar inesquecível até para mim, como referencia  das coisas que creio.)
("A LUCIDEZ ESPIRITUAL X O LUTO DA IGNORÂNCIA")


(Transcrição do Programa "Viagem Espiritual" do dia 02 de maio de 2002, com o Prof. Wagner Borges - Rádio Mundial de São Paulo – 95,7 FM)

Senhora B - 15 de agosto de 2010 - Aqui e agora - 22:00

sábado, 14 de agosto de 2010

14 de agosto

O Pai.
Se fosse vivo estaria completando 93 anos. É seu aniversário de nascimento.
Pai querido, pai amado, que partiu para o Céu há 23 anos. Até parece que foi esquecido, mas não.
Estará sempre em minhas lembranças, na minha gratidão, em minha vida. Ele e minha mãe, minhas raízes amadas, queridas, saudosas.
Momentos de grande aprendizado eu tive nos anos em que estivemos juntos.
A sensação que tenho, é que foi muito breve a nossa convivência.
Recados, escritos, seu beijo guardado na minha caixinha guardei.
Instintos filiais, instintos paternos, conflitos que me fizeram crescer.
O amor não morre, pai. Vim através de você e de mamãe. Talvez saibam o quanto foram e sempre serão importantes para mim.

Um dia nos encontraremos , outra vez. Obrigado.
Com muito amor, meu beijo para voce. Estou ficando velhinha também, vivendo todas as preocupações que um dia voces tiveram com todos nós.

Amr eterno.

(Senhora B - 14 de agosto de 2010 - 23:16hs)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Fatos da vida

A sabedoria de minha mãe é incontestável, sob o ponto de vista humano e seus problemas. Tinha sempre uma palavra certa de apoio e de acolhimento e conciliação. Tenho tambpem uma face acolhedora, conciliadora, mas em alguns momentos  me sinto perdida, sem resposta, sem ação, sem iniciativa quando se trata de curar feridas por conflitos entre pai e filho...ah...como sofre uma mãe... na verdade são conflitos de gerações em se se por um lado pode existir a intolerância e a incompreensão de um pai, a inexperiência e a juventude de um filho pode nublar a visão da realidade. O que nos alivia é que o tempo é um grande remédio , para esquecer, para aprender, para amadurecer e para crescer, porque , infelizmente,muitas das vezes, é com o sofrimento que crescemos em escala de amadurecimento.

Vejo assim que preciso ser sempre um instrumento do bem, para fazer o bem. Apaziguar conflitos. Solucionar dúvidas... Ainda que nem sempre eu consiga resolver os meus próprios.

Voltando as reflexões do dia a dia, lá se foi mais um cachorro. Jovem, pegou uma virose, adoeceu e hoje, morreu. São agora sete cães e um poodle. Este já faz parte da família, mascote que é  .

(Senhora B - 12/08/2010 - 18:31hs)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Resposta recebida (mensagem do padre Marcelo)

Alguns dias atrás eu me questionava sobre a indiferença. ( Indiferença de sentimentos meus em relação a alguns fatos que chegaram ao meu conhecimento)

Fiquei verdadeiramente incomodada e me cobrava a razão de tal sentimento. Procurei minuciosamente dentro de meu coração as respostas para tal sentimento que incomodava...

Hoje recebi em meu e-mail esta mensagem do padre Marcelo, e acredito que a causa deste sentimento tem a ver com uma mágoa mal resolvida ou mal curada. Conhecendo suas razões, eu posso curar minha alma.
EI-LA:

Orando Para Que Chova

"Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo.
Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos
do vosso Pai que está nos céus" ( Mateus cap. 5 ).

Uma mulher idosa, piedosa mas muito mal-humorada, perdeu a parte dos anúncios da igreja no final de semana.Ela ficou muito aborrecida quando descobriu que ninguém a avisara que seria naquela semana o piquenique da igreja.Na manhã do evento alguém percebeu o esquecimento e comunicou ao Padre.

Este ligou para a casa dela. "Eu sinto muito por termos esquecido de avisá-la do nosso piquenique", falou o Padre.

Não tem nenhuma importância agora", disse a senhora. "Eu tenho orado para que CHOVA!"

Muitas vezes perdemos nossa grande bênção porque em vez de buscarmos as maravilhas de Deus para nossa vida,estamos preocupados em desforras e vinganças contra aquilo que outros nos fazem.Continuamos com o ensino do "olho por olho e dente por dente". Mas não é esse o ensino do Senhor e nem a Sua vontade para Seus filhos. Deus é amor (Ágape) e deseja que nossas atitudes sejam firmadas no amor.

Melhor do que odiar é amar; melhor do que a vingança é o perdão; melhor do que atacar aos que nos fazem mal é estender-lhes a mão dizendo:"Pode contar comigo para o que for possível". Essa é a forma do cristão agir. Só assim o brilho do Senhor será visto em nosso rosto e o nome do nosso Deus será engrandecido.

O coração de Deus se entristece quando um filho Seu deseja o mal ao seu próximo.

E mais do que triste, o Senhor fica envergonhado quando um cristão ora pedindo que tudo dê errado para
aqueles de quem não gostam.O desejo do Senhor é que intercedamos por eles, que lhes desejemos as bênçãos dos Céus, que se arrependam e deixem Deus fazer grandes coisas também em seus corações.

Uma alma vale mais do que o mundo inteiro. Devemos nos alegrar quando um pecador se arrepende, quando um perdido encontra o Caminho, quando alguém que nos fazia mal é transformado e se torna um abençoado filho de Deus. Você ainda ora para que chova sobre a alegria do seu próximo?


Pois é! Jamais orei pedindo o mal para quem quer que seja . E se meus adversários porventura sofrem revezes, não fico feliz por isso. Simplesmente tenho descansado no Senhor , para a solução de meus problemas...
(Senhora B em 05/08/2010 'as 12:44 hs)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

É ele.

Olha aí o meu bebê de 26 aninhos! Não é lindinho?Este é o primeiro de meus quatro filhotes! Parabéns , filho!
(Senhora B - 04/08/2010 - 18:44hs)

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Meu filho faz aniversário.


Amanhã é 04 de agosto. Meu filho completa 26 anos.  A imagem de seu rostinho , de seu nascimento são vivas e presentes em minha memória.

Muito, muito amor. Toda a sua gestação foi de versos e poemas para ele.  Não esqueço uma médica que disse ao nos ver ( eu e o pai) : Seu filho será lindo! E nasceu lindo: branquinho, com boquinha rosadinha, olhinhos naquele momento azuis. Depois ficaram duas contas verdes, como os olhos de mamãe.  

Seus olhos mudam conforme o seu sentimento e suas emoções. Meu filho era para mim, naquele momento, o impacto, a semente feito gente do fruto de meu amor pelo senhor B. E ao olhar meu filho, homem feito, tão educado, tão romântico como sempre desejei, parece que olho um menino, uma criança que ainda precisa de meus cuidados.

Meu filho, como peço a Deus por sua felicidade. Como desejo que encontre um amor que cuide de voce, que receba o amor imenso que voce tem dentro de si, para dar. Eu me vejo em voce e lamento que não tenha ainda realizado os seus sonhos. Por mim tudo seria muito diferente, filho.

Peço a Deus que abençõe voce. Que aponte o melhor caminho a sua felicidade, a sua alegria, as suas realizações. Como eu te amo filho. Como eu amo meus filhos. Sempre serão a semente de meu amor  por voces, por seu pai.

Receba este carinho e a benção da mãe coruja, que adora voces.

Senhora B - 03/08/2010 quase 04/08/2010 - 23:58hs)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Beão

Beão foi um menino negro. Negro com um sorriso largo no rosto.
Quase não falava. Ria e comia muito.
Beão com sua suposta bobeira, respeitava mamãe. Foi, durante um tempo, uma cria dela. Mais uma destas pessoas que passaram por seu caminho, e que ela ajudou, acolheu, alimentou, orientou.
Mamãe nunca virou as costas para Beão.
O pobre rapaz negro envolveu-se certa vez, numa briga. Nesta briga houve morte. Dizem que jogaram para ele um canivete e com ele feriu o outro que veio a falecer. Falaram em legítima defesa. Foi preso. Mas todos daquele lugar continuaram a dar apoio ao pobre e negro rapaz.
Humilhado pela vida, sem família, trabalhava para viver ou vivia de favor.
O tempo passou...Vi o Beão em 2008, quando mamãe teve mais uma crise de tudo e praticamente não falava. Beão estava ao seu lado, atendeu o telefone. Falou comigo, atendeu meu pedido de socorro para salvar mamãe. E ele buscou ajuda, e mais uma vez ela foi salva para retornar para minha casa e ficar seus últimos dias ao meu lado.
Nunca mais vi Beão. Até pensei nele, em trazê-lo para trabalhar comigo, fazer alguma coisa...mas o tempo passou e quase não vou a cidadezinha que minha mãe tanto gostava.
Hoje recebi a notícia que Beão morreu.
Penso na longa jornada deste rapaz e peço a Deus, aos espiritos socorristas, que olhem por ele e considerem as bondades de sua vida. Que sua alma fique em paz. Não posso esquecer que de uma forma ou outra, ao seu jeito, ele atendia a minha mãe sagrada e amada.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Consternação....dor da perda.

Não posso deixar de registrar esta consternação que aperta meu coração. Esta semana  eu vi  pelas manchetes o semblante arrasado da Cissa Guimarães, com a perda de seu filho caçula. Menino lindo, mãe coruja, fatos que somente Deus pode explicar ao recolher a jóia preciosa desta atriz tão simpática, com tanta vivacidade e brilho nos seus olhos...
Não há palavras que possam expressar a dor desta perda. Ainda não estou refeita do luto por minha mãe. Ainda rolam lágrimas sentidas, quando leio as mensagens que fiz para ela ou quando olho o manto azul escuro do céu, repleto de estrelas sob o brilho do luar, buscando ver este mundo invisível aos nossos olhos, onde nossos entes queridos agora vivem. É uma dor muda. Não há som ou comunicação, apenas silêncio. Levanto meus braços , num abraço carente e saudoso , jogo beijos para o alto na esperança de que chegue até o seu coração. Penso no livro " Violetas na Janela" e imagino sinceramente que mamãe sente e recebe o meu carinho solitário e de longe observa minha saudade imensa, meu desejo de sonhar e de vê-la, senti-la próximo
Tudo tem seu tempo e o dela , de ficar aqui passou. Não entendemos, não aceitamos, mergulhamos em buscas, leituras, novos conhecimentos de uma vida, que para o espírita é de fácil aceitação. Nesta esperança acreditamos. Nesta esperança nos agarramos. E penso nas palavra de Jesus, que dizia: Na casa de meu Pai, tem muitas moradas....
O terror da morte, da perda, da constatação, da impotência de dar-lhe o sopro da vida é ainda tão presente, que a consternação e a dor pela passagem breve, brusca e rápida de um anjo, me abalou. O que dizer? Não se pode consolar uma mãe que perdeu um filho. Não se pode consolar um filho que perdeu uma mãe.  Somente Deus em sua infinita bondade pode suavizar esta dor, esta ausência , para seguir a vida e cumprir os desígnios que nos destinaram antes de nascermos. Não é porque se trata de uma pessoa pública. Mas o brilho espontâneo dos olhos de uma mãe terá sempre ao fundo uma marca de sombra e de saudade.
Que Deus em sua infinita sabedoria possa trazer a você, Cissa, o consolo, no momento certo, amenizando as dores que nunca passará, até que possam se reencontrar novamente em uma dessas lindas moradas que o Senhor nos prometeu.
(Senhora B  22/07/2010 - 22:34hs)

Pressentimentos....


Meu coração sempre estremece quando alguma coisa ruim está sendo tramada e mesmo sem saber de onde vem as setas, minha'alma fica em alerta, pressentindo os trovões...
 
Estou em sentido de alerta desde a semana passada e agora fatos confirmam a eletricidade negativa que eu sentia sendo lançada sobre mim, sobre nós. Porque incomodamos algumas pessoas, se não temos tempo para fofocas, maldades, intrigas. O que nós temos que incomoda tanta gente?

A estas pessoas eu clamo a Deus piedade! Clamo por luz, por amor. São secas, infelizes e sem brilho.

Não sou tão boazinha assim que não tenha sentido lampejos de raiva e de revolta...mas....é isto que pessoinhas deste tipo desejam nos provocar. Mas refletindo bastante, não vale a pena perder a cabeça. Deixa pra lá.  Estes pessoas só sabem apreciar o fel e jamais sentirão o doce sabor do mel.

(Senhora B - 22 de Julho de 2010 22:02hs) 

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Faxina.... eis a palavra que define estas ultimas semanas no escritório. Nossa, mãe! tantos papéis antigos. Arrumação nas gavestas, nos arquivos.

Cansativo mas necessário. Tudo há uma razão de ser , e agora temos que dar esta geral, renovar energias, jogar papéis fora, por a vida em ordem.

Que caos. Pior é que para isto acontecer, depende de minhas forças, minhas energias, de colocar a mão na massa. Esse povo não gosta de trabalhar, não, gente.

Confesso que hoje fiquei carente . Cansada pelos últimos dias estar com o filhote n.º 02 doente, de enfrentar UPAS e Hospital, agora o Senhor B passa mal. Nem veio ao escritório hoje. Misturou exaustão, estresses, mal estar e sei-l-a mais o que, já que ele não se cuida, não se trata. Mas se por um lado bate esta carencia, esta necessidade de colo, por outro lado fico feliz e dou graças a Deus pela força, ânimo e iniciativa que possuo. Tem que ter muito bom astral....

Êpa, a luz acabou, ficou o rascunho pendente de publicar...ah! Não vou jogar fora. Deixa como está!

A arte da Guerra entre vencedores e perdedores

Venho para o escritório  fechada em mim mesma.
Séria, compenetrada, decidida a invocar minha inspiração e trabalhar, trabalhar e trabalhar.

Colocar meus trabalhos em dia.

Nesta últimas semanas eu chafurdei em papéis antigos, examinando-os um a um. Arquivando uns, excluindo outros, numa limpeza necessária , obrigatória de organização mínima.
Quem mais poderia fazê-lo em meu lugar? Ninguém. E com isso vieram lembranças do passado recente, da observação crua de que o tempo passa rápido. Um, dois, três, dez anos....

Achei  até mesmo a ordem de serviço do Parque e Jardins para plantar uma árvore na calçada, de 16 de julho de 1991.

Revi fotos antigas, textos escritos por mim em confissões silenciosas de momentos passados...

Reabri feridas, tratei de outras, enchi meu coração de emoções variadas e meditei .Meditei sobre a morte. Se eu morrese hoje, qual de meus filhos teria a paciencia responsável de examinar cada pedacinho de papel, sua importância ou significado. Certamente achariam tratar-se de lixo reciclável e venderiam aos pacotes ou simplesmente em sacos para o lixeiro carregar anotações de uma vida inteira.

Coloquei o fone de ouvido e liguei o radio do celular para fugir aos burburinhos dos escritório. Ligações, chamados, lamentos infantis de quem se acomoda e não procura ter iniciativa, " se virar", realizar, resolver.

Volta e meia sou chamada de meu isolamento para atender um ou outro. Não imaginam como preciso me encontrar com meu próprio eu , vencer a mim mesma e aos meus conflitos, deixando fluir o espírito da justiça , da fé, da razão , da verdade em meus arrazoados.

E assim aparecem palavras, textos, que parecem refletir o nosso pensamento. E hoje eu li em um blog ótimo, um artigo do Prof. A. Lopes Sá, que não podia deixar passar desapercebido:

“Ideal seria que pudéssemos jamais ter contendas, vivendo em paz, livre da maldade, ambição, inveja e rancores de outras pessoas.

Mesmo sem praticar o mal, todavia, sem realizar provocações, conquistamos ‘inimigos gratuitos’.
Basta que sejamos bem sucedidos, que estejamos sempre ao lado da virtude, para que sejamos alvos de ataques.
Parece mesmo haver uma predileção para atingir quem tem valor.
Se atingidos, todavia, é legitimo defender; defender-se não é um erro, mas, um dever.
Nunca justifica errar por que os outros erram, mas, na defesa de princípios, da benevolência, não cabe a omissão.
Se não se consegue evitar o ataque, o atentado aos nossos princípios éticos, não é recomendável que por medo ou displicência se deixe subtrair o que conquistamos ou que nos é deveras atribuível como mérito e posse.
A vida é, pois, como uma batalha; tem vencedores e perdedores.
Alcançam êxito os que acreditam no sucesso, mesmo quando os problemas parecem superiores às forças disponíveis.
Mesmo quando tudo parece conspirar contra as soluções, o uso da inteligência, a confiança, são fatores que tendem a superar o considerado como ‘impossível’.
Sob certas circunstâncias a própria adversidade pode ser transformada em solução, ou seja, é possível usar a própria força do antagonista para vencer uma contenda.
Quando enfrentar alguém é inevitável a solução é traçar uma estratégia, ou seja, planejar racionalmente a contenda.
A história está cheia de exemplos que podem ser tomados como analogias.
Assim, foi em um dia pleno de neblina, sem sol, em terreno encharcado que Napoleão venceu as tropas russas e austríacas, essas duas vezes maiores em número que a dos franceses.
A batalha de Austerlitz ficou na história como uma lição de estratégia.
Os grandes generais sempre se caracterizaram pela inteligência na manobra de suas tropas; assim, também, ocorreu com o cartaginês Aníbal Barca que por vezes venceu o poderoso exército romano, até que Cipião o imitasse em tática para derrotá-lo.
Quando se tem a impressão de que nada mais resta a fazer, ainda podem existir soluções que resolvam problemas tidos como insuperáveis.
Lutar, pois, requer inteligência, obstinação e crença; exige confiança em si mesmo, perseverança nas atitudes e crença na força do destino, na participação de energias próprias e que podem ser invocadas.
Vergonha não é eventualmente perder uma luta, mas, sim, fugir dela.
Mesmo derrotado perante terceiros é vencedor aquele que intimam ente conserva a consciência limpa por haver dentro dos limites de suas forças lutado e mantido de pé, intacto, o ideal que defendeu.
A maior vitória, pois, é a que se consegue sobre si mesmo e esta depende da superação do medo, da manutenção de um estado de tranqüilidade interna, da convicção de haver defendido a verdade.” (Fonte: www.lopesdesa.com.br)

Fala sério: É lindo, profundo, verdadeiro, maravilhoso texto . Merecia esta sendo citada na primeira página de uma defesa processual, pela dignidade transcrita nas palavras.

Então, neste momento, voltada para dentro de mim, longe de sentir a calmaria, busco o espirito reto e equilibrado, a lógica e o bom senso para brilhar, aclarar minhas idéias e pensamentos.Em verdade  não gosto das palavras " vencedores e perdedores" . Ambas machucam e ferem, porque não há necessidade de guerrear.

e para fechar o dia:


Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.
Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
Pablo Neruda



(Senhora B - 19 de julho de 2010 - 21:43Hs)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Oração silenciosa

Aflições de mãe.
Tenho visto e ouvido tantas notícias ruins na televisão, custando a acreditar no potencial de maldades que pode habitar no coração humano , sob vários títulos.
Consternação, compaixão e dó , pela vítima e pelos seus entes queridos. Estarrecimento diante das atitudes de seus algozes.
E fatos assim me levam a pensar nestas almas que não se corrigem...

Deus, afasta de nós todas as maldades do mundo! Deus, o amor sincero é benigno, afaga o coração do homem, afasta as maldades de seus corações.

Momentos de refletir, de ajoelhar-se e clamar por Deus, pela misericórdia Divina e clamar pela paz no mundo e entre os homens.

O mundo, as pessoas, tudo pode ser bom. É necessário ter Fé, Amor, Compaixão, temor e respeito.

Senhora B, em 09 para 10 de julho de 2010, 'as 00:14 , aguardando para apanhar um filho no UPA, com febre....preocupações de mãe, responsabilidade de mãe, amor de mãe!

terça-feira, 6 de julho de 2010

Saudades


Mãe querida, mãe amada...minutos de saudades intensas. A minha mente retrata o seu rosto, deitadinha na cama. Hora do almoço. Você estava na casa de cima, mas estava aqui, perto de mim, minha. Minhã mãe tão amada. Êta saudade ! Fisga o coração, os olhos, as lágrimas brotam sozinhas. Por onde andará você agora, neste novo mundo em que vive? Por mais que eu creia no espírito, ainda é terrível e difícil acreditar na morte. Acreditar que um dia teremos que nos desapegar dos sentimentos, da presença vibrante, física ou não, de um contato telefônico, de um abraço, de uma palavra amiga.


Ficou a sensação carinhosa de sua presença constante. Isso , aqui na Terra, para mim, é o seu maior presente: a sua presença interior dentro de mim, de meu coração, de minha mente, de minha alma sempre unida a sua, mãe amada. Saudades, saudades. Sempre o meu eterno beijo para voce.

Senhora B - 06/07/2010 - 13:24 hs

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Desabafo

Estar sujeita a um trabalho, é mais do que escravidão. É submissão, escravidão, constrangimento.
Nestes últimos dias foi assim que me senti.
A desilusão com o ser humano, há muito tempo, duela em meu coração e em minha mente, os sentimentos humanos e aqueles divinos de perdoar e esquecer.

A dura realidade mostra como as pessoas pensam apenas e tão somente em si. Eu não caí na "real", ainda!
A pessoa esquece sua humildade, seu passado... suas lástimas... usa...abusa do trabalho...do nosso suor, das noites passadas em claro em nome da responsabilidade...não há contraprestação digna. Apenas manipula. Um dia aparece, ou não. Telefona apenas para dizer que outra pessoa fará o seu trabalho. Mas...não quer pagar por ele! Que feio.

Triste, deprimente, constrangedora horas de negociação sob pressão para se chegar a um valor vil, desprezível e refletir mais uma vez , se vale a pena ter "pena" do ser humano, pobre coitadinho, que chora mágoas e misérias financeiras , e voce com dó, se torna parceiro, sócio de trabalho, de suor...

O rosto irônico, frio, seco, palavras que surpreendem a alma delicada e fina de trato , é dificil esquecer. Mais um! É assim a rotina da vida , do trabalho.  Mas sabe, nem seria bem isso a falar de um mês denso, agitado, e ainda por cima com uma Copa do Mundo a trapalhar quer quer e precisa trabalhar.

Não dá para falar de São João , de São Pedro, das noites frias do inverno que chegou e da maravilhosa lua cheia que brilhava no céu entre as estrelas. Não dá para falar sobre a admiração muda da natureza noturna, manto sagrado que cobre a terra. A imaginação que vai longe, imaginando, buscando os seres amados em outras moradas. De olhar os aviões trilharem neste manto sagrado com o luar despontando no céu...De analisar os traços criados pelo Senhor B, no amor de seus exaustivos detalhes de uma obra recomeçada para acabamento de um pedacinho a mais de tantos outros pedaços a fazer... Não dá para falar da pessoa ingrata, que sempre viveu lá embaixo, pisada, e a quem se estende a mão na esperança de burilar sua alma e seus conhecimentos.

Não dá para falar das atitudes dos filhos, a volta de seus umbigos esquecendo que somos também seres humanos, cansados, magoados, estressados, decepcionados e nem sempre conseguindo esconder as lágrimas silenciosas que deixam em rolar pelo rosto, na tentativa de aliviar a pressão da alma... Somos apenas nós mesmos e Deus por apoio, por ombro amigo, por restauração de tantas emoções e sentimentos. O egoísmo decepciona. Amargura, desencanta.

Senhora B - 01 de julho de 2010 - 23:31hs

domingo, 20 de junho de 2010

Bem querer

Para superar as adversidades da vida, é necessário ter um amor, um bem-querer. É preciso brincar com o tempo, esquecer a idade, e divertir-se com os problemas. Mas o carinho, a afinidade, estes são bens essenciais para o dia a dia.

Ao longo de mais de trinta anos, vivemos, vivenciamos muitas dificuldades.Vieram os filhos, estes cresceram, mas a luta não parou , quadriplicou!

Então é preciso o companheirismo. E embora cansados, exaustos, estamos aqui, ambos, lutando a nossa guerra de luz, de aperfeiçoamento. Não é nada fácil.

Gosto deste diário virtual, destas histórias que um dia serão lidas por meus filhos, meus netos...netas...rsrsr..porque a histório não pode terminar no final de uma vida...

Tantas histórias mamãe contou...não registrei, não escrevi. Faço a minha e há muito tempo não descrevo as historias do meu amor.   Acho que nem sempre conseguimos nos conhecer profundamente, assim é muito difícil conhecer o nosso companheiro, sabemos o seu temperamento, o seu gênio, mas não conhecemos a sua história, sentimentos.

No momento eu deixo minhas palavras escritas para o futuro. O Senhor B constrói uma casa, inspirada pelos Céus, como ele  mesmo fala " Recebo a inspiração do que devo fazer" . Assim é como se fosse artes plásticas. Paredes, pisos , azulejos registram a sua personalidade , os seus detalhes, ainda que levem anos...É um livro de uma vida inteira.  Uma casa registrada com suas impressões e que sequer ele sabe se os filhos darão valor a este sacrifício, a este sonho....

Como jovens, cada um tem girado em torno de seu próprio umbigo...maturação de caráter, de sentimentos...

Precisamos encontrar forças entre nós dois, amparando um ao outro em todo e quaisquer momentos , de alegria, de dificuldades, sobrevivendo, matando um leão por dia, nesta luta inglória de ser gente honesta, correta, politicamente corretos, quando tantos não o são. Quandas decepções, frustrações temos encontrado no dia a dia....

Senhora B. 21:02hs  20/06/2010 ( Só para deixar registrado, assistimos ao jogo do Brasil x Costa do Marfim, na Gamboa, zona portuária, lembranças de papai, titio, primos....muitas saudades).

terça-feira, 15 de junho de 2010

Manhãs de outono

Manhã de Junho - Copa do Mundo - Brasil.

Estes dias em que está marcado jogo do Brasil, são dias nervosos. Como é possível um jogo parar o País?
Aflige-me porque em sua maioria são casos de bebidas, farras, irresponsabilidades. 90 minutos que atrapalham todo um trabalho porque ninguém quer pensar em responsabilidades e compromissos.
Estou aqui, diante deste computador , numa fria manhã de fim de outono, ouvindo Enya e buscando a concentração e reflexão necessária para mais um dia de trabalho, de defesa processual. Fincar meus pés no chão... Pezinhos abalados por um sobrepeso que é imprescindível reduzir. Não sei se artrite, artrose ou mau jeito, certo é que depois que caí da escada , pés, tornozelos e joelhos não estão sendo a mesma coisa que antes, portanto preciso cuidar-me.
É isso. Frio , inverso chegando, dias voando, retorno da obra , mais uma vez, mais uma etapa, sonhos que retornam de um dia poder usufruir esta casa, esta obra de uma vida inteira Qualquer hora conto esta história também.

Senhora B - 15/06/2010 - Brasil e quem? Ah, Coreia do Norte . - 09:59 hs.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Coração de mãe.

Coração de mãe.

Acredito sinceramente que todo poeta tem uma alma triste.
Não sei se possuo alma de poeta , pois não tenho alma triste.
As vezes minha alma se deprime, alcançando uma tristeza profunda, uma dor, uma saudade,
como hoje. Nestes momentos minha fuga é escrever, relatar meus sentimentos, meus pensamentos. Reflexões de impressões de impotencia, de incerteza, de indecisões. Refletir como conduzir os caminhos dos filhos, como tentar protegê-los da dor. Não ouvem o que falamos e ao final sofrem e passam por problemas que poderiam ter sido evitados.
E esta alma trsite sofre o impacto da dor que eles sentem, das frustrações, do desejo de pegá-los no colo, resolver suas dores, desamores, seus problemas financeiros...
Então a alma chora. Reflete no olhar este sentimento, pois as lágrimas dançam nos olhos sem cair. E questiono-me o que posso fazer.

Senhora B. 11/06/2010 11:29 hs.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Passam os dias, mais um mês termina

Pois é. O tempo corre demais. Eu não consigo observar os dias as semanasa. Amanhã já é junho. Chegamos ao meio do ano, final do primeiro semestre.  Coração assim ...fechado. Busco a leveza do ser. Encanto-me com o luar , com as estrelas, com o passear na casa antiga, no tronco da paineira. Paineira de minha mãe. Paineira que brigo para não cortarem seus galhos, suas raízes....Gostosa brisa orvalhada das noites , para mim tão encantadas.


Terra de sonhos noturnos. Chica apareceu em sonho para a Rapha. Sua voz  e lábios estavam trêmulos de emoção ao contar-me " vovozinha querida, é você mesmo" .  Suaves lágrimas brotaram de meus olhos sem sentir, escorrendo pelo meu rosto, abrindo uma ferida de dor que julgava cicatrizada. Saudade. saudade!

E assim transcorreu mais um mês, com o filhote mais velho viajando a trabalho, conhecendo novos rumos, novas paisagens, distanciando-se do ninho...filhos.... filhos.... como não amá-los? como não estressar-se com eles? como viver , vivendo sem eles....

É a dor de mãe, que filho não conhece, e so passa a conhecer quando tem os seus rebentos. Aí recorda-se que deixou seu lar, seus pais, foi em busca das aventuras e do amor egoista, para o qual nada mais importa. Dividir-se entre o amor dos pais e o amor do marido e dos filhos. É contraditório demais, sofrimento demais, tudo necessário ao crescimento, ao amadurecimento, as reflexões da vida. Por isso eu aqui, rodeada de tantos e tão só no meu coração, com a minha caixinha de lembranças. Lembranças de muito amor da infância que forjou meu caráter, meu eu , minha forma de ser.

Maio tantas emoções, tantos risos, lágrimas.... comemorações....
Niver da mãe que foi para o céu, niver do filho e agora... tha...rammmm. Minha filha acabou de ser pedida em casamento, a mim e ao pai, e com direto a aliança com brilhante e tudo.... Obrigado,  Senhor!


(Senhora B - 31/05/2010 - 19:33 hs)   ( mãozinha pedida em 31/05/2010 'as 20:40hs)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Dizem que os grandes poetas e os grandes escritores em geral são pessoas solitárias, que conversam com sua propria alma e expõe no papel o sofrimento de sua existencia. Talvez porque quando estamos envoltos e alegrias e felicidades , há tanto para curtir, que não olhamos o que se passa internamente , ou refletimos na existencia. Talves minha dor esteja passando...
Não ...
É emoção , as razões das lágrimas que brotam em meus olhos. Não é dor. É impressionante como a dor passou. Ficou um vazio. Uma saudade profunda. Uma proximidade de você, ao ver, ao tocar as coisas pequenas , simples e humilde que deixou.
Olhar para uma gaiola quebrada, servindo de enfeite... de uma aranha enroscada em sua teia...dos frutos abundantes nas árvores que plantou.
Nada mais será como antes e não vivi o que voce viveu, o quanto sofreu ou o quanto amou aquele lugar , aquela casa.
São dois tempos: A casa de minha infância onde vivi com vocês e onde estão todas as minhas lembranças e a casa em que voce viveu nos últimos dezesseis anos e onde permaneceram suas lembranças.
Suas janelas de vidros, seus bibelôs, seu romantismo juvenil nos traços de suas louças e toalhas.
Uma imagem machuca: a imagem de vê-la deitada, através da janela, em sua cama, nua, coberta apenas por um lençol, pálida e sozinha, frágil, abandonada, me chocou , quando chegamos para buscá-la . Meu coração sangrou de dor e piedade. Meu irmão não teve coragem de levá-la para sua casa ou de deixar alguém cuidando. Esta imagem marcou este dia. Mãe amada, mãe querida. A saudade será eterna, e como disse, em todos os dias de minha vida, de uma forma ou de outra, estou e estarei sempre lembrando o seu sorriso, o seu carinho, pedindo a Deus que onde quer que voce esteja, seja feliz e com muita luz, muito mais do que aquela que já brilhava aqui. Voce estará para sempre dentro de meu coração. Então, já sem raízes, cabe agora fazer a minha parte pelos meus.
(Senhora B - 25 a 28/05/2010)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Comentários vagos.

Hoh! 100 postagens. Rsrsrsrsr. Transformei meu diário em um blog. Nao tão diário assim, e nem tão pessoal, mas um registro de desabafos do dia ou da semana ou do mês, conforme a inspiração, conforme a paciência.

Dias pesados, embora eu leve com o humor os problemas que surgem. Sem muitas novidades ou outros papos mais, registro a releitura da carta psicografada de meu pai, quando se aproxima o 12º mês da passagem de minha mãezinha...

(Senhora B. 20/05/2010 - 20:44hs)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Niver do filhote

Meu filhote completa seus vinte e três anos. Não tem jeito. A gente se zanga, briga, mas é filho, filho amado.
Este menino tem um Q diferente. É criança, é levado, é sapeca, é teimoso...Então eu dou Graças a Deus, por tudo, por mais um ano de vida, pelo amor incondicional que tenho por meus filhos, pedindo ao Pai Eterno, que lhe ampare sempre, que lhe dê juízo, sabedoria, Fé.
Gosto de ter meus filhos perto de mim. Que Deus o abençõe sempre e o oriente.Dou Graças por tudo.

Senhora B - 18/05/2010 - 22:07hs

sábado, 15 de maio de 2010

Fui jovem um dia.

Fui jovem, um dia.
E quando somos jovens, não vemos o amanhã.
Não nos imaginamos maduras. E não imaginamos como o tempo passa veloz .

Guardamos em nossas memórias, a imagem adolescente de nossos colegas. Surpreendemo-nos quando os vemos, anos mais tarde, com feições marcadas pelo tempo, com alguns quilos a mais, muitas vezes também sem o brilho no olhar.

Eu também fui jovem, um dia.
Mas se o meu corpo já não é mais o mesmo, se o meu rosto também contém rugas da idade e preocupações pela vida, se os cabelos brancos são hoje disfarçados por tintas louras, claras, porque a surpresa?

É porque os meus olhos não enxergam o exterior, como críticos do tempo, vê o meu interior, não envelhecido, ao contrário, cada vez mais jovem, enrijecido e flexível , com mais cultura, mais experiência, mais serenidade...

Senhora B em 13/05/2010 12:47hs.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Cachorro tem alma?

Esta é uma história antiga, antiguíiiiissima na minha família. Virou até troça
'a boca pequena
quando as pessoas comentam o fato. Agora por exemplo, está acontecendo de novo: O Senhor gosta de bicho. Gostar não, isto é pouco. Ele tem uma paixão esquisita por bichos, principalmente quando eles estão doentes. Parace até que fica doente com eles e os trata como se fosse gente ao ponto de virar a noite tratando deles sem qualquer sinal de nojo ou de repugnação ou sei-lá-o-quê! Mas é isso. Bicho é sagrado. Gente não! Diz ele que bicho é irracional, não sabe se cuidar. Gente sim. Esta sabe se cuidar, portanto não precisa dele.Não cuidou nem de mim quando cai da escada e torci o joelho e o tornozelo.Mas a cachorrra...hum....veterinária, soro, medicação sem pena. Desta vez, até fralda ele comprou para colocar na bichinha...bicha média. Mas o que eu queria contar procês, nãoé isso não. É a tal história de que ele acha que cachorro tem alma. Por isso , quando morre, tem que ficar com o corpo deles por tres dias esperando a "alma" subir.
E não adianta falar. Ele não leva pra cremar antes disto e leva o bicho depois já ensacadinho, lacrado, para cremar. Ai! Deus do Céu! Minha nossa! Essa não é a primeira e é a mais pura verdade. Essa aí então é a tal que minha mãe dizia , em suas últimas semanas de vida, que a ouvia falar 'a noite. Que era "lobisomem", mas que a gente não podia falar para a cachorra que a gente sabia que ela era isso e que falava. Cruzes! Olha, é maio,tumultos diários, eu sem inspiração para anotar em meu blog, e depois de duas semanas de estresses estranhos e esquisitos, com a bichinha doente, empregada dando chilique,coisas assim.
Então é isso. Esta é uma das histórias reais do Senhor B. Não sei de devo rir, ou se devo chorar mas também, depois de tantos anos de casados, apesar de não concordar com ele neste procedimento macabro para mim, respeito a sua loucura oo seu amor insano por animais. Será que ele já nasceu cachorro em outra vida? Sei - lá! Vá entender esta pessoa tão contraditória e excentrica.

Senhora B - 20:14 - 12 de Maio de 2010

quarta-feira, 14 de abril de 2010

abril passando...sereias...outros

Abril....
Estamos em 14 de abril. Neste mês completamos 26 anos de casamento. Nenhuma comemoração especial, como sempre. Tudo igual. Estresses, marasmos, frustrações e alegrias de trabalho.Abril.Um de meus filhos parece extremamente apegado a sua recém namorada. Curioso:Um gosta de mulheres mais velhas.Outro de mulheres mais novas.As suas escolhas, porém não se pode precisar se é aquelas esperadas a sua felicidade.A não ser que você conte apenas e exclusivamente momentos felizes como sinônimo de felicidade e de plenitude Não. Ainda não estou convencida. A meu ver, sem querer ser a sogra-cobra, ele ainda não sabe o que está fazendo e ouviu o canto da sereia errada. Aliás, errada não, pois toda sereia que se preze, canta e encanta para levar a sua vítima para o fundo....Tomara que meu filho não se torne uma vítima desta sereia, esquecendo-se inclusive que os melhores venenos encontram-se nos pequenos frascos. Tomara que eu esteja enganada e uma pequena menina não se torne um grande problema.Assim seguem os dias e ontem faleceu o companheiro de minha irmã. Pessoa de gênio difícil, grosso, de palavras de baixo calão que nem a doença soube amolecer o coração, nem mesmo com a doença da minha mãe. É daqueles espíritos brutos, ainda em evolução, mas que ao final, aparenta ter se entregue a Deus, refletindo na sua passagem. Em memória de minha mãe, e em tudo que tenho aprendido após a sua partida, reforçando a minha filosofia de vida , não guardei mágoa, rancor, raiva ou ódio. Compaixão e indiferença.Ajudei no que pude, choquei-me mais uma vez com a frieza de um hospital, que mal falece o homem, carrega o defunto para a geladeira. Cruel imagem. Enfim, teve um enterro digno!Minha irmã seguirá em frente com sua filha, vivendo a vida. De certa forma, sem qualquer hipocrisia, podia até rolar um afeto, como a gente se apega até a um gatinho, mas certamente ela deve estar se sentindo aliviada e livre. Sabe-se lá o que se passa na cabeça e no coração dos outros...Pois é. Muitas reflexões nestes últimos dias.
Senhora B - 14/04/2010 09:40 hs

quarta-feira, 31 de março de 2010

E sá se foi o mês de março...

Hoje encerra-se mais um mês deste ano de dois mil e dez. Estou vendo uma luz no final do túnel, saindo pouco a pouco de meu bloqueio, retornando minha inspiração de trabalho.  Renovações de mão de obra, entusiasmando-se com  o revigoramento do conhecimento do trabalho. É certo que muitos obstaculos ainda atigem o seio de minha família, de meus filhos, mas estamos seguindo em frente, dia após dia, pedra sobre pedra, obstáculos eliminados um por um, com calma, com paciencia, com serenidade.



Ainda fico surpreendida com as intrigas e fofocas que nos rodeiam. Pessoas que não tem o que fazer, ficando a se preocupar com terceiros, com acontecimentos que não lhes dizem respeito, num desejo infâme de intrometer-se na vida do outro.

Eu , decididamente não suporto isso. Não gosto de fofocas, não gosto de dar satisfações de nossos atos ou hábitos de conversar com um ou com outro e ter que se justificar porque constrangimentos indiretos pretendem cercear a nossa liberdade e esmiuçar nossas vidas pelo prazer  de falar sobre o alheio.

Telefonemas inesperados, absurdos, jogo de palavras para apurar o quê?  Chego a impressionar-me com a capacidade que as pessoas tem de criar, inventar histórias futeis, amargas, que prejudicam gratuitamente os outros. Isto para mim é pura intriga para provocar quem está quieto. O que desejam?

E assim fecho este mês, lendo crônicas maravilhosas do Arnaldo Jabour, revendo as decisões de meus filhos individualmente, seja de uma casa, ou de um trabalho ou de uma namorada, ou de frustrações, indecisões, inseguranças de um, ingenuidade de outros.

Fecho este mês, ainda contundida no joelho e tornozelo sem ter procurado um atendimento médico especializado. Hummmm, também não é para menos. Estou descrente e decepcionada com estes profissionais, mas não posso julgar todos por alguns não é. Vamos respirar fundo, meditar, crecer na alma e no pensamento, abrir o coração a bondade, a paz, porque somente assim conseguiremos dar a volta por cima. Amém, né!

(Senhora B - 31/03/2010 - 23:30hs)